Blogue Notícias do Pedal, diáriamante tudo sobre bicicletas em: revistanoticiasdopedal.blogspot.pt
 Notícias do Pedal Revista Estatuto Editorial  ●  Ficha Técnica ●  Links  ●  Calendários  ●  Galeria Multimédia  ●  Contactos Siga-nos

   

Triatlo

“Triatlo de Sines decide Campeões Nacionais distância Standard 2018”

Sines recebeu o Campeonato Nacional Individual na distância standard, incluindo elites e grupos de idade
 

 

Realizou-se no dia 22 de setembro em Sines o Campeonato Nacional Individual de Triatlo na distância standard que incluiu o escalão de elite. Decorreu também o Campeonato Nacional de Grupos de Idade.
Num dia de muito calor, o triatlo teve como núcleo principal a Avenida da praia Vasco da Gama, de onde foi dado o tiro de partida para um percurso de 1,5km a nadar, 40km de ciclismo e 10km de corrida.

Melanie Santos revalidou o título de Campeã Nacional de Triatlo
Melanie Santos, do Sport Lisboa e Benfica, e João Mansos, do Sporting Clube de Portugal, sagraram-se Campeões Nacionais Individuais de Triatlo. Melanie, sem surpresas e revalidando o título do ano anterior, conseguiu gerir a prova e venceu com facilidade com 02:09:07. A revelação foi de João Mansos cuja boa condição física e prova inteligente resultaram na vitória, com a marca de 01:55:16.
Para Melanie «a natação correu bem, conseguimos formar um grupo pequeno que rapidamente se destacou.» No segmento de ciclismo as triatletas quiseram poupar-se, pelo que controlaram o ritmo, acabando por fazer o ciclismo algo lento. «Na corrida fiquei sozinha logo de início e depois foi só gerir o resto da prova».
João Mansos revelou estar em excelente condição física, acabando por vencer a prova de elite
João Mansos foi o primeiro a cortar a meta, conquistando o título de Campeão Nacional Individual: «Nem nos meus melhores sonhos era capaz de prever que iria ter um resultado deste género. Este ano optei por controlar a natação, que é o meu tendão de Aquiles.» No ciclismo João tentou ir na frente, mas houve dois fugitivos, pelo que tentou controlar o ritmo no grupo perseguidor. Caso apanhassem o grupo da frente, a discussão do título estaria lá. «Tive momentos que pensei que iria ficar para trás no ciclismo, o que felizmente não aconteceu. Ao entrar para a transição coloquei-me bem, mas ainda sofri uma queda por causa do toque de uma roda, pelo que saí atrasado». Na corrida o triatleta do Sporting deu tudo, conseguiu ver os quatro triatletas da frente logo na primeira, e acabou mesmo por apanhá-los. «Ataquei a certa altura, mas nunca pensei que o Ricardo Batista e o Tiago Fonseca ficassem para trás. O Danilo Pimentel veio comigo, mas na terceira volta comecei a acreditar que podia mesmo ser Campeão. Apercebi-me da vantagem de 20’’, agradeço ao Sporting este título!»
Madalena Almeida, do Alhandra Sporting e Ricardo Batista, do Clube de Natação de Torres Novas, foram vice-campeões nacionais da modalidade, com os tempos de 02:09:37 e 01:55:44, respetivamente.
A vice-campeã nacional conta-nos que ‘se sentiu muito bem durante toda a prova’. «Estive no grupo da frente desde o início e decidiu-se tudo na corrida. Foi o meu terceiro triatlo na distância olímpica, ainda estou a encontrar o meu ritmo de corrida; decidi começar mais controlada e acelerar nos 5km finais.» A triatleta do ASC ia com ambição de ganhar o título, mesmo sabendo da dificuldade acrescida de ganhar à Campeã Nacional Melanie Santos. «Estou satisfeita com o segundo lugar», afirma Madalena.
Já Ricardo Batista, o primeiro triatleta júnior a passar a meta, elogiou a organização por parte da FTP. «Foi o meu primeiro triatlo olímpico, por isso não tinha definido nenhum objetivo específico. Estou apenas há cinco dias em Portugal e ainda não totalmente adaptado ao fuso horário.» Ricardo partiu confiante na natação e chegou a sair da água no primeiro lugar, com mais dois triatletas. «Cheguei a ter uma vantagem de 1’ em relação ao grupo perseguidor, comecei o ciclismo só com o Miguel Tiago Silva e trabalhamos durante 30km até perdermos grande parte da vantagem e esperarmos pelo grupo». O atleta do Clube de Natação de Torres Novas acusou cansaço por causa da fuga de 30km, mas conseguiu, ainda assim, um ótimo segundo lugar a nível nacional. «Para o ano há mais e melhor!» declarou Ricardo.
A terceira posição foi para Helena Paula Carvalho, do Sporting Clube de Portugal, com 02:13:31 e Danilo Pimentel, do Rio Maior Triatlo, com 01:56:16.
Gil Maia assumiu o terceiro do Campeonato Nacional, com 01:56:39.

Os treinadores dos Campeões Nacionais
Lino Barruncho, treinador, partilha connosco os objetivos para Melanie Santos: «Em relação ao Campeonato Nacional, o objetivo era ganhar com o menor esforço possível, porque a época ainda não terminou, apesar de já não haver provas para a qualificação olímpica; tínhamos em mente a vitória com o mínimo de desgaste para outras competições, o que acabou por acontecer, já que a prova foi gerida da melhor maneira. As competições que se seguem estão mais relacionadas com compromissos anteriores, como foi o caso da Corrida do Tejo, por exemplo.
O objetivo para a última etapa do Campeonato do Mundo, em Gold Coast que era ser top 15 ou 10, foi largamente superado com o 6º lugar, o resultou em muitos pontos de vantagem e, também, com margem para gerir o próximo período de qualificação. «Os próximos objetivos internacionais são, além da Corrida do Tejo, estar na Super League e no Campeonato da Europa sub-23, onde Melanie vai lutar pelo primeiro lugar, já que obteve a medalha de bronze e de prata. Como é o último ano da Melanie como sub-23 vamos ver se conseguimos alcançar o objetivo!»
André Campos, treinador de João Mansos, deixa-nos o seu testemunho. «Não estava à espera que ele ganhasse a prova, mas tinha-lhe dito que ‘menos que pódio não iria interessar’, em tom de motivação. De facto, para o treinador João Mansos superou todas as expetativas, mas a sua determinação e empenho fizeram com que merecesse este resultado. «A competição foi inteligente a juntar a uma boa condição física, com uma atitude positiva de assumir a prova». O triatleta, que estava noutro clube, mudou este ano para o Sporting e conseguiu pela primeira vez ‘mostrar resultados de acordo com as suas capacidades’. «Não conseguiu a qualificação para Quarteira porque teve um problema físico que durou dois meses. Depois apostámos no estágio em altitude onde esteve com uma postura excecional, foi também à Taça em Valência, onde acabou por ter um bom resultado, que acresce ao título nacional merecido».

O Campeonato Nacional Age Groups
A prova de grupos de idade foi também muito disputada com os melhores triatletas AG a marcarem presença, num percurso muito competitivo. Um trajeto bonito, marcado por um algum vento a dificultar o segmento do ciclismo.
Abigail Santana, do SFRAA Triatlo, foi a primeira a cortar a meta do CN Grupos de Idade
Escolhemos dois Campeões Nacionais de Grupos de Idade, Abigail Santana e Marco Sousa, que partilharam connosco a sua opinião sobre a prova.
Abigail Santana, Campeã Nacional escalão 20-24: «Foi a primeira vez que estive em Sines, gostei muito da prova, foi muito gira. A água estava perfeita e contámos com o fantástico aplauso do muito público que estava a apoiar os participantes. O vento estava forte e impediu de ver as boias, mas consegui fazer um bom segmento com mais três nadadoras incríveis.» O segmento do ciclismo também contou com algum vento o que tornou o percurso mais difícil do que seria de esperar. «Saí sozinha na primeira volta, mas fui depois apanhada por duas triatletas o que me ajudou bastante a pedalar». Abigail conta que pratica atletismo desde os 12 anos, pelo que este segmento é a ‘sua praia’. «Foi só manter o ritmo na corrida, que para mim é muito fácil, já que estou muito à vontade neste segmento. E estou muito satisfeita com este resultado!», conclui a triatleta.
Marco Sousa foi Campeão Nacional de Triatlo Olímpico, no escalão 40-44, primeiro veterano absoluto. «Foi uma prova muito bem organizada; a natação foi excelente, com uma temperatura e transparência top, seguida de um percurso de ciclismo que fui inserido num grupo onde acabei por me divertir». Marco seguiu com o João Mestre sempre a criar espaço para que o Rui Narigueta não recuperasse para o grupo onde seguia. «No segmento da Corrida deu para gerir a vantagem, para chegar ao fim da posição que ambicionava. Ponderei muito a minha presença em Sines porque estamos a poucos dias do IRONMAN 70.3, mas foi uma aposta ganha! Agora é descansar até lá!»
Na opinião de Marco Sousa ‘para evitar que os age groups ficassem tanto tempo para a entrega dos prémios faria mais sentido a elite competir da parte da manhã e todas as outras provas serem realizadas até às 13h’. «Eu gosto de ficar para ver não me transtornou, mas penso que é de evitar.»
Este campeonato nacional foi organizado pela Federação de Triatlo de Portugal e contou com o apoio da Câmara Municipal de Sines.
Fonte: FTP


 

Estatuto Editorial  ●  Ficha Técnica  ●  Links  ●  Calendários  ●  Galeria Multimédia  ●  Contactos

Copyright © 2018 - ® Revista Notícias do Pedal - Todos os Direitos Reservados
Este site está optimizado para ser visualizado em 1366x768