Hoje é:

  Blogue diário Notícias do Pedal,tudo sobre bicicletas em: revistanoticiasdopedal.blogspot.pt -»  Clique...
 

Estatuto Editorial | Ficha Técnica | Apresentação | Galeria Multimédia | Contactos
 
 
 
Triatlo
 
 

“Tóquio’2020: João Silva alcança a 23.ª posição e João Pereira o 27.º lugar”
João Silva conquistou a 23.ª posição e João Pereira passou a meta
em 27.º lugar nos Jogos Olímpicos de Tóquio’2020

Realizou-se em Tóquio no dia 25 de julho de 2021, pelas 22h30, a prova olímpica de Triatlo, uma competição muito dura e técnica que contou com a presença de dois triatletas nacionais: João Silva e João Pereira.
Eram 6h30 da manhã hora local, 22h30 em Portugal, quando se deu o sinal de início da prova individual de Triatlo nos Jogos Olímpicos de Tóquio, num percurso que incluiu 1500 metros de natação, 40km de ciclismo e 10km de corrida.
Depois de uma falsa partida, os triatletas nadaram em Odaiba Marine Park, ilha artificial localizada na baía de Tóquio, com a temperatura da água a rondar os 30º graus pelo que os 55 atletas qualificados para os Jogos Olímpicos nadaram sem fato isotérmico. Pela frente tiveram duas voltas de natação, a primeira de 950 metros com uma rápida saída pela plataforma para a segunda e última volta de 550 metros.
João Silva e João Pereira fizeram um bom segmento de natação, saindo respetivamente em 12.º e 15.º lugares na primeira volta. Os dois triatletas nacionais terminaram este segmento bem posicionados na 14-ª e 18.ª posição, com o campeão do mundo Vincent Luis na frente da prova para a transição do ciclismo.
O percurso de ciclismo era técnico e composto por oito voltas de 5km onde estavam incluídas diversas curvas de 90 graus e um retorno de 180 graus. O grupo da frente estava inicialmente composto por cinco atletas, aos quais se juntaram mais cinco, formando posteriormente um compacto pack de mais 35 ciclistas que chegaram em simultâneo ao parque de transição para a corrida.
Deixando a bicicleta para começar a correr os 10km, este último segmento foi muito sofrido devido às elevadas temperaturas e principalmente à humidade extrema que se fazia sentir, com muitos atletas a acusar o desgaste do ciclismo. João Silva e João Pereira mantiveram o seu ritmo na corrida, conseguindo ambos uma boa prestação, mas que infelizmente se revelou insuficiente para a disputa do pódio.
João Silva, que terminou na 23.ª posição, afirmou que «deu o seu melhor nesta prova bastante dura, principalmente no segmento de ciclismo». Silva destaca a grande qualidade dos atletas presentes pelo que, apesar da boa prestação, não chegou aos resultados esperados. «Até aqui havia um plano, agora não sabemos o que vai acontecer», afirmou o triatleta quando questionado relativamente aos planos para o futuro.
João Pereira, que alcançou o 5.º lugar nos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro em 2016, comentou a sua prova: «Trabalhei muitos anos, consegui sonhar com uma medalha em 2016. Nesta competição forcei na natação, segmento para o qual me preparei muito bem». Pereira afirmou que conseguiu gerir bem o ciclismo mantendo um ritmo sofrido nas primeiras voltas. «A corrida também foi bem gerida, mas infelizmente não chegou para um resultado de pódio, facto que aliás percebi quando coloquei os pés no chão, já que, quando se tem muita experiência, é possível prever as probabilidades logo no início da corrida». Pereira fez ainda um balanço de todos estes anos de trabalho, com longas horas de treino, proferindo palavras de agradecimento aos patrocinadores que sempre o apoiaram e permitiram que chegasse a este nível – tal como IPDJ, COP, Benfica, Federação de Triatlo.
O triatleta acrescenta ainda que «o trabalho desta geração irá abrir caminho a outros triatletas mais novos cujos resultados serão visíveis daqui a uns anos, sendo esse um dos objetivos mais importantes».
Do numeroso grupo de atletas que saíram para a corrida, destacaram-se três elementos na metade do segmento: o norueguês Kristian Blummenfelt, Alex Yee, da Grã-Bretanha e Hayden Wilde, da Nova-Zelândia. Blummenfelt, que já nos habituou a corridas de grande nível, onde a determinada altura do último segmento consegue ganhar vantagem sobre os seus adversários, já tinha vencido este ano em maio a Taça do Mundo em Lisboa apenas uma semana depois da vitória na competição do Circuito Mundial que se realizou em Yokohama.
Fazendo uma prova de trás para a frente, o norueguês voltou a brilhar na prova olímpica, destacando-se uma vez mais na última volta da corrida para alcançar em Tóquio o almejado título de Campeão Olímpico.
A prova foi então ganha por Kristian Blummenfelt, com o tempo de 1:45:04, com Alex Yee, da Grã-Bretanha a conquistar a prata com o tempo de 1:45:15, ficando o bronze para o neozelandês Hayden Wilde, que terminou em 1:45:24 e fechando assim o pódio olímpico.
João Silva alcançou a 23.ª posição, com o tempo de 1:47:30 e João Pereira ficou no 27.º lugar com 1:48:03.
Fonte: Federação Portuguesa Triatlo

 
  Estatuto Editorial | Ficha Técnica | Apresentação | Galeria Multimédia | Contactos
Revista Notícias do Pedal

 

Copyright © 2021 - ® Revista Notícias do Pedal - Todos os Direitos Reservados
Este site está optimizado para ser visualizado em 1347x533