Blogue diário Notícias do Pedal,tudo sobre bicicletas em: revistanoticiasdopedal.blogspot.pt

Estatuto Editorial Ficha Técnica Apresentação Galeria Multimédia Contactos

Btt

“O que fazer se suspenderem para Covid a corrida em que você participaria?”
Técnico Javi Fernández revela em entrevista os passos que devemos seguir

Por: Carlos Espinosa
Este ano, o Covid arruinou as marchas e corridas de milhares de entusiastas do ciclismo rodoviário e de montanha. Em alguns casos, essas nomeações têm sido disputadas virtualmente (para aqueles que têm a sorte de ter um rolo inteligente em suas casas).
Em outros, como no Deserto de Titã, a pandemia forçou uma mudança de cenário para estar em um ambiente mais seguro e ter maiores garantias de que o teste pode finalmente ser realizado (o teste de MTB por excelência mudou Marrocos para Almeria).
Mas o calendário dos fãs viu quase todos os testes caírem gradualmente e a maioria não conseguiu trazer à tona o treinamento acumulado. Para saber como o corredor amador deve lidar com essa situação do ponto de vista esportivo e psicológico, conversamos com Javi Fernández, um treinador que de sua própria empresa (Cycling Training) prepara ciclistas amadores e profissionais de toda a Espanha e até mesmo de fora do nosso país.

Pergunta: O que você diz a um amador que está suspenso que foi talvez o único teste que ele queria fazer o ano todo?
Resposta: Você tem que dizer: "Não se preocupe, tudo o que você fez ficou em seu corpo. Sua forma física está melhor agora e vamos usar isso para o futuro." Treinando, é como se ele tivesse subido um degrau em sua forma física e esse passo não vai colocá-lo para baixo mais a menos que ele pare de treinar.


Q: Mas o seu esforço, com todas essas séries e todo esse planejamento, pode ter sido muito alto, de modo que no final não há objetivos concretos.
R: O importante é que quando você for treinar no próximo ano você vai começar de uma base muito mais forte Essa melhoria não é infinita, mas também não é que um homem de 50 anos não melhore. Vamos pensar em uma criança que começa aos 10 ou 15 anos e consegue seu melhor resultado com 30. Talvez então ele fique preso e tenha que fazer virguerias para melhorar seu desempenho. No entanto, uma pessoa que começa aos 40 anos tem até 50 anos para subir esses degraus de upgrade, e aos 50 anos, se ele fez as coisas direito, ele será mais forte e mais forte do que quando tinha 40 anos.

P: A batalha psicológica é a primeira a ser superada quando o fã vê que ele não pode correr?
A: Nós, como preparadores, uma das coisas que mais fazemos somos psicólogos com nossos atletas. No Treinamento de Ciclismo, consultamos-mos regularmente todos os meses através de uma entrevista pessoal.
Perguntamos a eles como foi o treinamento, mostramos a eles o próximo treinamento, explicamos a série, os pesamos... Muitos dos que estão connosco há 15 anos sabem o procedimento dessas consultas melhor do que eu, mas eles vêm porque é o lugar onde damos a eles afeto, nós os mimamos, dizemos a eles o quão bem eles vão.
Mas também vemos se as coisas não foram bem, o que pode acontecer porque eles tiveram uma crise no trabalho, no casal, na família, etc., e isso os fez reduzir a intensidade do treinamento. Nesses casos, eles precisam que você os encoraje, pergunte sobre a família, as crianças, o trabalho, e fazê-los tirar o melhor de si mesmos.
O fator psicológico é algo que estudamos e uma das coisas mais sutis para o atleta. Na verdade, um ciclista profissional que eu treino muitas vezes me diz: "Eu venho vê-lo não para que você possa me dizer o treinamento, mas para me animar, para falar com você..."

P: É prejudicial para um amador que não tem mais corridas até o próximo ano para fazer uma parada nos treinos?
A: O que faríamos nesse caso seria enfrentar a nova temporada, provavelmente com um grande objetivo, como o Deserto de Titã se falarmos de mountain bike, e outros secundários. O que costumamos fazer é dividir a temporada em várias fases. Uma primeira fase seria descansar; imagine que você está se preparando para o Deserto de Titã há meses, e no final você não pode fazer Almeria.
Você trabalhou tantos meses para este teste que o que toca agora é descansar o corpo, mas também a mente. Seria bom fazer uma parada de três ou quatro semanas e contar com um exame de sangue para ver parâmetros bioquímicos, como hemoglobina ou transaminases, que são biomarcadores de possíveis fadigas acumuladas.
Depois disso viria um período de preparação física base em que trabalharíamos tudo relacionado à condição física. Quanto mais especializado for o ciclista, menos essa base vai durar, mas um ciclista recomendaria praticar algum outro desporte, como caminhada, natação, academia, trabalho de força, esqui cross-country ou esqui alpino...
Claro que também de bicicleta, se quiser. Então um período específico de preparação viria. Com três meses de trabalho específico antes do grande evento esportivo seria suficiente, mas ser uma temporada inteira para um único objetivo se torna difícil, por isso é interessante procurar metas secundárias, que servem como estímulo e teste. Bem antes da competição já encaixávamos em 80 ou 85% e isso estimula a motivação, pois para um teste desde que o Titã seja bom sentir-se forte mentalmente.

P: As férias podem ser tomadas como um período relaxante?
A: Depende. O ciclista que tem muito tempo durante todo o ano e acumulou muitos quilômetros pode ter um pouco mais de liberdade nesse período e vai até chegar até ele para se recuperar. Mas aquele que mal leva 4 ou 5 horas entre o rolo e o fim de semana, é bom que você tenha a visão da sua família para aproveitar e fazer um pouco de volume.

Q: Seria conveniente variar um pouco do feed se você não vai correr iminentemente?
A: Sim. No ciclismo a proporção watio-kg é muito importante e é por isso que muitos ciclistas passam fome, correm, param de beber aquele chocolate, aquele pão, aquela cerveja... Tudo isso é necessário no caso do profissional, que cobra por isso, mas para o amador é difícil estar cuidando do alimento de modo ao máximo, olhando para a ingestão de carboidratos, a de proteínas... No final, você tem que encontrar um equilíbrio. Sim, com menos peso e mais músculos vai mais rápido.
Mas você tem que procurar esse peso ideal nas datas dos objetivos. Se você tem um único objetivo, com o esforço sendo antes do gol seria suficiente, contanto que você tome o resto do tempo uma dieta equilibrada, mas esses caprichos fazem bem. E há a outra ponta, aqueles que comem o que querem, que não fazem progresso no final.

Q: E fazer um teste de stress?
A: É bom fazer um teste de stress após o período de condicionamento. Porque a saúde pode mudar de ano para ano e você não tem que brincar com ela. Mas também porque você pode comparar sua condição de desempenho de uma temporada para outra.

P: Por que é conveniente para um ciclista amador encontrar um treinador?
A: Porque ensinamos como planejar seu tempo de treinamento de forma ideal. Se você se sair bem, um treinador deve melhorar o condicionamento físico do seu atleta durante todo o ano e levá-lo a alcançar as metas esportivas que foram estabelecidas em uma condição ideal, não dois meses antes ou dois meses depois, que é o que geralmente acontece quando treina para sensações.
Um coach trabalha com um método planejado, ajustado e individualizado. Porque há informações na internet, há livros, mas são coisas gerais. É como se houvesse uma dieta geral para perder peso e todos têm que tomar os mesmos carboidratos ou a mesma proteína, independentemente de se mede 1,80 m ou 1,50 m, se pesa 60 kg ou pesa 80 kg.
Nem todo mundo tem que treinar três horas com três séries de força, porque um terá que fazer duas séries e outras cinco ou quatro. E todo esse ajuste de carga tem que ser feito por um profissional, que é alguém que deve ter as ferramentas para analisar os dados, como fazemos com o Training Peaks ou WKO, e o conhecimento teórico da fisiologia do exercício e do mundo do planejamento esportivo. E se você adicionar experiência a tudo isso, muito melhor. Porque não há, até onde eu sei, nenhum livro didático ou artigo científico que diga exatamente como a pessoa que está lendo deve treinar em particular.
Fonte: Marca


Estatuto Editorial Ficha Técnica Apresentação Galeria Multimédia Contactos
Revista Notícias do Pedal

 

Copyright © 2020 - ® Revista Notícias do Pedal - Todos os Direitos Reservados
Este site está optimizado para ser visualizado em 1347x533