Hoje é:

  Blogue diário Notícias do Pedal,tudo sobre bicicletas em: revistanoticiasdopedal.blogspot.pt -»  Clique...
 

Estatuto Editorial | Ficha Técnica | Apresentação | Galeria Multimédia | Contactos
 
 
 
Ciclismo
 
 

“Chris Froome, tetracampeão do Tour, vai terminar quase em último: «Foi muito difícil»”
Ciclista britânico num modestíssimo 134.º lugar

Por: Lusa
Foto:
Reuters
Chris Froome, tetracampeão da Volta a França em bicicleta, e Geraint Thomas, vencedor em 2018, admitiram que esta edição foi "muito difícil", procurando, contudo, desfrutar do lado positivo da "bonita corrida" que os consagrou.
"Esta Volta a França, para mim, foi muito difícil, muito diferente de todas as anteriores, mas estou feliz por ter regressado a esta bonita corrida", declarou o único ciclista no ativo a vencer a Grande Boucle em quatro ocasiões (2017, 2016, 2015 e 2013).
O britânico de 36 anos terminou a nona participação na prova francesa, onde foi segundo em 2012 e terceiro em 2018 e conquistou sete etapas, a última das quais em 2016, num modestíssimo 134.º lugar entre 142 corredores, a mais de quatro horas do vencedor, o esloveno Tadej Pogacar (UAE Emirates)
"Ganhei muita confiança. Espero voltar ao meu melhor nível, passo a passo", disse o também vencedor de duas edições da Volta a Espanha e uma da Volta a Itália.
'Froomey', que esteve oito meses parado devido a uma queda grave no Critério do Dauphiné em junho de 2019, falhou o Tour'2019 por estar em convalescença e, no ano passado, não foi selecionado pela INEOS, o que precipitou a sua mudança para a Israel Start-Up Nation, após 11 temporadas na estrutura da equipa britânico.
Geraint Thomas, outro preterido pela INEOS na edição de 2020, regressou para liderar os britânicos nesta Grande Boucle, mas teve uma prestação dececionante, marcada pela queda grave na terceira etapa.
"Para ser honesto, definitivamente este foi o Tour mais difícil que fiz, tanto mental como fisicamente", confessou.
O vencedor de 2018, e vice-campeão no ano seguinte, não desistiu da prova, apesar das mazelas e dificuldades físicas, por ser o tipo de pessoa que dá "100%". "Não podes simplesmente retirar-te e desistir. Tive alguns momentos negros, mas tinha a equipa a ajudar-me a superá-los", completou.
Apesar de ser 42.º na geral, a mais de duas horas do jovem esloveno, o galês de 35 anos disse ter desfrutado do último contra-relógio, no qual foi devagar e limitou-se a apreciar o público, sem ter de preocupar-se "com quedas ou pessoas a caírem" à sua frente ou atrás.
A 108.ª Volta a França arrancou a 26 de junho, em Brest, e terminou em Paris a 18 de julho.
Fonte: Record on-line

 
  Estatuto Editorial | Ficha Técnica | Apresentação | Galeria Multimédia | Contactos
Revista Notícias do Pedal

 

Copyright © 2021 - ® Revista Notícias do Pedal - Todos os Direitos Reservados
Este site está optimizado para ser visualizado em 1347x533