Hoje é:

  Blogue diário Notícias do Pedal,tudo sobre bicicletas em: revistanoticiasdopedal.blogspot.pt -»  Clique...
 

Estatuto Editorial | Ficha Técnica | Apresentação | Galeria Multimédia | Contactos
 
 
 
Ciclismo
 
 

“Nelson Oliveira: «Senti-me bem durante todo o Giro e estou contente com a minha prestação»”
Ciclista português terminou a prova no 27.º lugar

Por: Lusa
Foto:
Bettiniphoto
O português Nelson Oliveira (Movistar) fez, em declarações à Lusa, um balanço "bastante bom" da Volta a Itália em bicicleta, que terminou no 27.º lugar final e que é a 14.ª grande Volta que completa.
Depois de estrear-se em 'grandes' em 2011, na Vuelta, todos os anos Oliveira tem corrido pelo menos uma das três maiores corridas (Itália, França e Espanha) fechou no 27.º posto, o segundo melhor resultado final de sempre, depois do 21.º na Volta a Espanha de 2015, edição em que também venceu uma etapa.
"No geral, foi bastante bom. Tive um bom início, tentei estar na disputa da geral, até. Tentei ajudar o [Marc] Soler, mas depois ele teve de abandonar, infelizmente, e trocámos as opções e objetivos da equipa. Para mim, foi um Giro bastante interessante, senti-me bem durante todo o Giro e estou contente com a minha prestação", avalia o ciclista, em declarações à Lusa.
Na 21.ª e última etapa, o contra-relógio em Milão, a sua especialidade, correu abaixo do esperado, com um 40.º lugar final. "Não foi o 'crono' que esperava, esperava estar bastante melhor", admite.
Ainda assim, depois de uma 'corsa rosa' "que se tornou dura", "as forças vão-se acabando", e acabou por 'levantar o pé' nos últimos quilómetros, porque "não valia a pena sofrer mais", ainda que tenha recuperado um posto na geral.
O luso de 32 anos chegou a estar em terceiro da geral e protagonizou várias lutas pela vitória em etapa, por um lado, e pela camisola de líder, por outro, sobretudo nos primeiros dias, sendo oitavo na quarta etapa e quarto na oitava, voltando ao oitavo posto na 14.ª tirada, no Monte Zoncolan.
Para já, e após uns dias de descanso, vai voltar aos treinos e tem uma dúvida no calendário, entre a Volta à Occitânia, a partir de 10 de junho, ou os Nacionais de estrada, de 18 a 20 do mesmo mês. "Depois, é preparar os Jogos Olímpicos Tóquio2020, se for convocado", atira.
O ano de 2021 tem sido de bons resultados para o corredor, na sexta época na equipa espanhola, e, depois de ter tido problemas com os treinos, devido à covid-19, recuperou as forças para "uma excelente sucessão de resultados" e um bom Giro.
Foi segundo na Volta à Comunidade Valenciana, o seu melhor resultado de sempre na geral de uma prova por etapas, e nono na Volta às Astúrias, mas ainda espera mais, em ano de Jogos.
"Com o devido descanso, e as coisas bem feitas, penso que poderei melhorar bastante mais", afirma.
A 104.ª edição da Volta a Itália em bicicleta terminou em Milão, com a vitória final do colombiano Egan Bernal (INEOS) e João Almeida (Deceuninck-QuickStep) como melhor português, no sexto lugar final.
Fonte: Record on-line

 
  Estatuto Editorial | Ficha Técnica | Apresentação | Galeria Multimédia | Contactos
Revista Notícias do Pedal

 

Copyright © 2021 - ® Revista Notícias do Pedal - Todos os Direitos Reservados
Este site está optimizado para ser visualizado em 1347x533